Boletim Técnico
Análise Sinótica: 17/11/2018-00Z
Nível 250 hPA
Na análise da carta sinótica de 250 hPa da 00 UTC do dia 17/11, observa-se um padrão de escoamento anticiclônico sobre o Brasil Central e parte do Sudeste do Brasil. No PA e no leste do AM, nota-se a presença de Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN). Este padrão de circulação é típico para esta época do ano. Inclusive há um cavado em direção ao Nordeste. A difluência no escoamento provocada por estes sistemas mencionados induz a convergência em baixos níveis que, combinada com a termodinâmica, contribui para a atividade convectiva observada no centro-norte e noroeste do Brasil e interior nordestino na imagem de satélite, especialmente a partir da tarde. Nota-se o escoamento zonal do Jato Subtropical (JST) próximo a latitude de 23°S sobre o norte da Argentina e RS e que adquire curvatura ciclônica sobre o Oceano Atlântico. Próximo a 40°S, nota-se o ramo norte do Jato Polar (JPN) que contorna os cavados frontais próximo a Bacia do Prata e no Oceano Atlântico sul. O ramo sul do Jato Polar (JPS) encontra-se em latitudes inferiores a 55°S.
Visualizar imagem de 250 hPA
Nível 500 hPA
Na análise da carta sinótica de 500 hPa da 00 UTC do dia 17/11, nota-se sobre uma circulação anticiclônica sobre o Brasil Central do país, garantindo subsidência e dificultando a formação de nebulosidade nesta área. Ao longo do dia, o escoamento em altos níveis e o aquecimento contribuem para que se rompa a barreira em parte desta faixa de escoamento. Nos tons em verde se observa o reflexo do escoamento em altitude, com fortes ventos e forte gradiente de geopotencial, com baroclinia evidente ao sul de 30°S. Também há um Vórtice Ciclônico (VC) sobre o Atlântico Sul Equatorial e próximo ao Nordeste.
Visualizar imagem de 500 hPA
Nível 850 hPA
Na análise da carta sinótica de 850 hPa da 00 UTC do dia 17/11, nota-se o escoamento de leste sobre o Oceano Atlântico, associado a circulação da Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS), favorecendo ao transporte de umidade, adentrando sobre as Regiões Norte e Nordeste. Ao encontrar a barreira dos Andes estes fortes ventos são desviados para o sul. Parte do escoamento converge entre o Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Outra parte do escoamento se direciona para o centro-sul do continente com intenso escoamento de norte caracterizando o Jato de Baixos Níveis, que é intensificado pela alta centrada no extremo sul do RS. A linha contínua na cor preta representa a isolinha de 0°C neste nível e indica que o ar relativamente mais frio se encontra ao sul de 45°S.
Visualizar imagem de 850 hPA
Superfície
Na análise da carta sinótica de superfície da 00Z do dia 17/11, nota-se um sistema frontal com ramo estacionário no Atlântico, associado a um centro de baixa pressão em oclusão no valor de 956 hPa em torno de 58°S/29°W. Há sobre o Pacífico um sistema frontal transiente a sul de 50°S. A alta pressão pós-frontal atua com centro de 1020 hPa à leste do Uruguai e RS. A Alta Subtropical do Pacífico Sul (ASPS) apresenta núcleo de 1020 hPa, centrada em torno de 32°S/95°W. A Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) tem núcleo de 1028 hPa, centrada em torno de 32°S/05°W, fora do domínio da imagem. A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) atua em torno de 08°N/10°N no Oceano Pacífico e 06°N/08°N no Oceano Atlântico.
Visualizar imagem de Superfície
Previsão
No sábado (17/11), o tempo voltará a ficar instável com pancadas de chuva entre o nordeste da Argentina, sul do Paraguai, Uruguai e o RS, devido ao avanço de um novo cavado em níveis médios, combinado com a presença do intenso Jato de Baixos Níveis (JBN) . Entre a tarde e a noite do sábado haverá a formação de uma nova onda frontal na região da Bacia do Prata. Com a formação do sistema frontal e o avanço da frente fria, entre o Uruguai e o RS, a chuva deverá se espalhar entre o centro-leste e norte da Argentina, Uruguai e o centro-sul e oeste do RS, entre a tarde e noite do sábado. Sobre a região central do país as condições de tempo seguirão dominadas pela termodinâmica e pelo padrão de escoamento em altitude. No domingo (18/11), com o avanço da frente fria, sobre o Sul do Brasil, ocorrerá grande instabilidade, com fortes pancadas de chuva e com volumes expressivos de precipitação sobre os estados do Sul do Brasil e o MS. Entre a segunda-feira (19/11) e a quarta-feira (21/11) o sistema frontal deverá permanecer estacionário na altura do Sudeste, devendo contribuir para a formação de uma Zona de Convergência de Umidade (ZCOU), que deverá manter a chuva concentrada entre o sul da Região Amazônica, o Centro-Oeste e o Sudeste do país.

24 horas

48 horas

72 horas

96 horas

120 horas