Boletim Técnico
Análise Sinótica: 20/03/2019-00Z
Nível 250 hPA
Na análise da carta sinótica de 250 hPa da 00 UTC do dia 20/03, nota-se um amplo anticiclone, centrado sobre Minas Gerais, que domina o escoamento sobre grande parte do continente entre as latitudes de 10°S e 25°S. Ao norte deste padrão de escoamento, nota-se perturbações ciclônicas que combinadas a termodinâmica contribuem para a nebulosidade isolada observada em pontos do Amazonas, Pará e Tocantins. Ao sul do anticiclone, nota-se um amplo cavado contornado pelo Jato Subtropical (JST) que, aliado a presença do Jato de Baixos Níveis, contribui para a atividade convectiva observada entre o Paraguai, norte da Argentina, sul de MS e oeste do PR. Ao sul de 35°S, nota-se o escoamento acoplado do JST com o ramo norte do Jato Polar (JPN) com curvatura ciclônica entre o Pacífico e o Oceano Atlântico, dando suporte dinâmico ao sistema frontal atuando sobre o sul do Brasil. O ramo sul do Jato Polar escoa em mais altas latitudes, ao sul de 50°S.
Visualizar imagem de 250 hPA
Nível 500 hPA
Na análise da carta sinótica de 500 hPa da 00 UTC do dia 20/03, nota-se o aprofundamento do escoamento em altos níveis que configura o escoamento em níveis médios. Um amplo anticiclone com centro entre o sul de GO e MG, domina o escoamento sobre parte do continente entre 05°S e 25°S. Entre o centro-leste da Argentina e o Atlântico nota-se a presença de um cavado frontal, que dá suporte dinâmico ao sistema frontal em superfície. Observa-se um outro cavado entre o sul da Bolívia e o norte da Argentina, que contribui para formação das áreas de instabilidade observadas na imagem, entre o sul da Bolívia, Paraguai, norte da Bolívia e sul de MS.
Visualizar imagem de 500 hPA
Nível 850 hPA
Na análise da carta sinótica de 850 hPa da 00 UTC do dia 20/03, nota-se o escoamento do quadrante leste na região Tropical que converge entre o Maranhão e Amapá na região de atuação da Zona de Convergência Intertropical. Ao adentrar o continente, parte deste escoamento deflete para o sul com intenso escoamento associado ao Jato de Baixos Níveis (JBN) que transporta ar mais quente e úmido para o Paraguai. Ao sul de 25°S, nota-se escoamento do quadrante sul devido ao avanço do sistema frontal.
Visualizar imagem de 850 hPA
Superfície
Na análise da carta sinótica de superfície das 00Z do dia 20/03, observa-se uma frente fria entre a Argentina e extremo sul do RS, estendendo-se pelo Atlântico até a baixa pressão com centro de 988 hPa, em aproximadamente, 56°S/40°W. Sistemas transientes são observados ao sul de 40oS no Pacífico. A Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) atua com pressão de 1024 hPa, em torno de 40°S/15°W. A Alta Subtropical do Pacífico Sul (ASPS) tem valor de 1028 hPa, em torno de 40°S/81°W. A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) oscila no Oceano Pacífico de forma dupla: uma em torno de 03°N/04°N e a outra, em torno de 02°S/03°S. No Oceano Atlântico a ZCIT atua entre 02°S/Equador.
Visualizar imagem de Superfície
Previsão
Na quarta-feira (20/03), uma frente fria atuará na Região Sul do Brasil e até a noite deverá se deslocar-se de forma oceânica, próxima ao litoral sul de São Paulo. Parte da faixa leste da região Sul do Brasil ficará sob influência do escoamento da alta pressão pós frontal, ao qual favorecerá a convergência de umidade ao longo da costa e a formação de nebulosidade e chuva isolada. No Centro-Oeste e Norte do Brasil o escoamento em altitude e a termodinâmica manterá as áreas de instabilidade, principalmente no período da tarde. Entre o centro-sul do TO, nordeste de MG, norte do ES e sul da BA, o escoamento divergente em altos níveis manterá o dia com bastante nebulosidade e chuva. Na quinta-feira (21/03), a frente fria estará alinhada próxima ao litoral do RJ, neste dia também se formará uma zona de convergência de umidade (ZCOU) entre o TO, norte de GO, de MG, do ES e sul da BA. O tempo ficará instável nessas faixas com chance para acumulados significativos de precipitação em algumas áreas, principalmente no litoral sul da BA. A previsão indica à manutenção da ZCOU até o dia 24/03, onde a princípio, não manterá o padrão sinótico em médios e altos níveis para se configurar como uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Na na periferia da faixa oceânica da ZCOU, serão formadas algumas áreas de baixa pressão, os modelos de previsão numérica ainda divergem sobre o posicionamento, estrutura e a possibilidade de alguma baixa pressão, após o dia 24/03, vir a se tornar um ciclone subtropical. A ZCIT continuará influenciando o norte do Nordeste e provocará pancadas de chuva forte na faixa centro-leste do MA, no PI, CE, RN e na faixa litorânea do PA e AP.

24 horas

48 horas

72 horas

96 horas

120 horas