Boletim Técnico
Análise Sinótica: 25/06/2019-00Z
Nível 250 hPA
Na análise da carta sinótica de 250 hPa da 00 UTC do dia 25/06, nota-se a presença do cavado estendido desde o AM ao sul da BA e segue pelo Atlântico. Outro cavado, mas de leste, atua com eixo desde o norte do Equador ao sudoeste do AM. Esse sistema contribui para a nebulosidade na Colômbia. Ao sul de 20°S, no Pacífico, nota-se um amplo cavado, que tem acoplado o Jato Subtropical (JST) e os ramos norte e sul do Jato Polar (JPN e JPS, respectivamente), favorecendo a presença de nebulosidade alta em pontos do oeste ao leste da Argentina e centro do Chile, Uruguai e RS. Outro cavado atua no sul da Argentina e tem associado um centro ciclônico na Antártida. Um ampla crista se estende do centro anticiclônico localizado em 12°S/82°W ao sul do Peru e prossegue para o RJ e ES. Esse sistema provoca subsidência do ar e deixa o tempo sem nuvens desde o Equador e Bolívia ao interior central do Brasil.
Visualizar imagem de 250 hPA
Nível 500 hPA
Na análise da carta sinótica de 500 hPa da 00 UTC do dia 25/06, nota-se que o domínio de um amplo anticiclone, característico da época do ano, que domina grande parte do escoamento sobre o continente e encontra-se centrado sobre o sul de MG. A presença deste anticiclone gera movimentos descendentes nesta camada que dificultam a formação de nebulosidade significativa e contribuem para os baixos índices de umidade relativa do ar observados a tarde em grande parte do centro do continente. O escoamento entre 30°S e 40°S no continente possui forte gradiente de geopotencial, evidenciando forte baroclinia, onde o cavado que atua nessa área apresenta um núcleo de temperatura bastante baixa com valor de -33ºC na Província de Rio Negro na Argentina. No Oceano Atlântico nota-se um vórtice ciclônico em 50°S/28°W, que apresenta temperatura baixa, com o ar frio atingindo -39°C. No sul do continente o escoamento é dominado pela circulação ciclônica, cujo centro do vórtice atua entre o Estreito de Drake e a Antártida. No Nordeste atua um cavado cujo eixo está inclinado desde o centro o PI ao litoral de PE e o Atlântico adjacente.
Visualizar imagem de 500 hPA
Nível 850 hPA
Na análise da carta sinótica de 850 hPa da 00 UTC do dia 25/06, nota-se o predomínio do escoamento anticiclônico sobre grande parte do continente. Este escoamento está associado a presença do anticiclone subtropical do Atlântico sul destacado na carta de superfície e favorece o transporte de umidade para a faixa litorânea do Nordeste, região em que observa-se a presença de nebulosidade rasa e chuvas de fraca intensidade. Ao adentrar o continente e encontrar a barreira orográfica dos Andes, parte deste escoamento deflete para sul e transporta ar mais quente para a região do Uruguai e RS, onde contribui para a elevação das temperaturas. Nesse caso o jato de baixos níveis (JBN) está configurado com vento forte, desde a Bolívia à Bacia do Plata e RS . Nota-se que o ar mais frio destacado pela isoterma de 0°C, neste nível, avançou para norte devido ao cavado frontal, e atua entre as Províncias de Rio Negro e de Mendoza na Argentina.
Visualizar imagem de 850 hPA
Superfície
Na análise da carta sinótica de superfície da 00 UTC do dia 25/06, nota-se um sistema frontal estacionário ondulando sobre o centro da Argentina e sul do Uruguai, estendendo-se sobre o Atlântico associado com a baixa pressão relativa de 976 hPa, em torno de 45°S/15°W. Sistemas frontais transientes são observados nos Oceanos Atlântico e Pacífico ao sul de 47°S. Alta Pressão Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) atua com valor de 1024 hPa à leste de 05°W. A Alta Subtropical do Pacífico Sul (ASPS) atua com valor de 1032 hPa centrada em torno de 35°S/94°W. A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) atua no Oceano Pacífico em torno de 08°N/10°N. No Oceano Atlântico a ZCIT oscila em torno de 05°N/06°N.
Visualizar imagem de Superfície
Previsão
Nesta terça-feira (25/06) uma frente fria avançará pelo RS, com chance de chuva fraca e isolada em grande parte do Estado, entre a manhã e tarde a chuva ficará concentrada entre a região centra e sul e a noite em parte do norte. Ao longo do litoral leste do Nordeste haverá a manutenção da nebulosidade e pequena chance de chuva isolada, por conta do escoamento da Alta Pressão do Atlântico Sul (ASAS), favorecendo a convergência do fluxo de umidade ao longo do litoral. No norte da Região Nordeste a chuva estará mais esparsa na forma de pancadas nos próximos dias, principalmente no MA. A massa de ar seco continuará dominando grande parte do centro e sudeste do Brasil provocando tempo sem nuvens e umidade relativa do ar baixa no período da tarde, principalmente no Centro-Oeste. Essa massa de ar seco é favorecida pelo anticiclone em níveis médios, que provoca a subsidência do ar seco sobre essas regiões, impedindo a formação de nebulosidade e chuva. A chuva na Região Norte estará concentrada nos próximos dias no norte do AM e no litoral do PA e AP. Na quarta-feira (26/06) frente fria se aproximará do litoral sul de SP, concentrando a chuva fraca e isolada, entre a tarde e a noite, principalmente no sul do estado. A massa de ar frio assocada à frente fria, influenciará a Região Sul do Brasil principalmente a Região Sul do Brasil e o sul de SP. Em parte do extremo sul da Região Norte poderá ser observado uma leve friagem entre quarta-feira (26/06) a noite e na quinta-feira (27/06) pela madrugada/amanhã. Na quinta-feira (27/06), grande parte da faixa leste da Região Sul e Sudeste ficará sob influência do escoamento da alta pressão pós frontal, com bastante nebulosidade e chuva isolada em alguns pontos. Na sexta-feira (28/06), outra frente fria terá a tendência de avançar sobre até o sul RS e no domingo deverá estar atuando entre o RS e SC.

24 horas

48 horas

72 horas

96 horas

120 horas